História

Foto Antiga de um caminhão A história da Família "DALZOCCHIO" de origem italiana, começou em uma localidade chamada "Toca da Onça" no Bairro Espinheiros, no interior da cidade de Itajaí (SC) - Brasil. Emílio Dalçoquio e Rosa Orsi Dalçoquio tiveram nove filhos: Cecília, Augusto, Otílio, José, Maria, Arnaldo, Carolina, Dalcizio e Luiz (por ordem de nascimento). Todos foram criados na lavoura com uma rotina diária típica de pessoas humildes com pé no chão, com muita força de vontade, honestidade, humildade e, principalmente, muita fé. Na lavoura cultivavam frutas e verduras tais como: milho, cana, batata, mandioca, banana e feijão. O contato direto com a terra fez com que o amor pelas coisas simples tomasse uma proporção onde tudo que fosse feito, deveria ser muito bem feito.

Em 1960, o soldado "396" Augusto, cumpriu seu dever militar no 5º regimento de artilharia em Curitiba (PR), onde conseguiu tirar sua 1º carteira de motorista dirigindo um GMC ano 1945, a gasolina 6 x 6, isto é, três diferenciais. Após cumprir o dever com as Forças Armadas, Augusto assumiu as funções de ajudante de motorista na prefeitura de Itajaí e, logo depois, foi auxiliar de motorista da Cia. Antártica onde distribuía refrigerante e cerveja. O terceiro emprego incluía viagens ao oeste catarinense para buscar madeira destinada ao litoral do Estado.

Em 1964, com ajuda de parentes e amigos, comprou um Internacional (mais conhecido como Burrichó), ano 1960, no toco e com tanque de 12.000 litros, conseguindo agregar na Transportes VANOLLI Ltda, onde distribuía produtos Ipiranga. Neste mesmo ano casou-se com Edemir de Souza (Dona Mirian), com apenas 15 anos. Desta união nasceram os filhos: Emilio (1965), Maria Regina (1966), Isabel Cristina (1974) e Augusto Emilio (1975).

Em 1968, surgiu então a "TRANSPORTES AUGUSTO DALÇOQUIO" onde já era credenciada pela Petrobrás Distribuidora que, na época, estava dando os primeiros passos no Sul do Brasil na distribuição de derivados de petróleo e óleo combustível. No início a Transportes Augusto Dalçoquio contava com uma frota de 5 caminhões:

  • Mercedes Benz - modelo: LP 321 (conhecido como meia - água)
  • F.N.M.- modelo: D 11000 - Fábrica Nacional de Motores ( conhecido como Fenemê ou Alfa Romeo).
  • Internacional a gasolina (conhecido como burrichó)
  • Dois Chevrolet a gasolina (conhecido como papa-casa)


Todos no toco e em torno de 12.000 litros.

Em 1969 foi inaugurado um dos primeiros postos da bandeira Petrobrás de Santa Catarina, o posto IRMÃOS DALÇOQUIO, palco de encontro de amigos, parentes e principalmente "clientes".

Em 1975, a razão social da Empresa foi alterada para TRANSPORTES DALÇOQUIO LTDA, sendo Augusto Dalçoquio o proprietário, fazendo a parceria com a Petrobrás ficar cada vez mais forte. Nessa época já contavam com uma frota aproximada de 50 caminhões. Em 1978, iniciou-se um novo segmento, o transporte de produtos corrosivos e tóxicos, isto é: Soda, Sulfúrico e Ácido Nítrico 98%.

Em 1981, outra inovação: o transporte de minérios e fertilizantes com caçambões de 30 toneladas entre Santa Catarina e São Paulo.

Em 15 de junho de 1983, exatamente no mês em que ocorreram as grandes enchentes no Vale do Itajaí, foi firmada a Sociedade com a Petrobras Distribuidora (a qual deteve 40% das ações da empresa) transformando-se, então em: TRANSPORTES DALÇOQUIO S/A, com uma frota aproximada de 150 caminhões. Obedecendo ao Plano Nacional de Privatização, a Petrobras Distribuidora, colocou a venda a participação acionária de todas as empresas coligadas, dentre as quais as ações que detinha da Transportes Dalçoquio S.A. Efetuado o leilão pelo BNDES (banco responsável pela privatização das empresas estatais), através da Bolsa de Valores Mobiliários de São Paulo, as ações foram adquiridas pelo Sr. Augusto Dalçoquio (95%) e pela cunhada dele, Maria Joana Dalçoquio (5%) que assim passaram a deter totalidade do capital da Transportes Dalçoquio S.A., ficando então, Transporte Dalçoquio Ltda. Esta mudança de Sociedade Anônima para "LIMITADA" foi em 15 de junho de 2001, em uma coincidência de data, pois ocorreu no mesmo dia e mês da sociedade com a Petrobrás Distribuidora, 18 anos antes.

Origem da Família

Dalçoquio vem de "Dal zocchio", isto é, da cidade "zocchio", na região de Trento ao norte da Itália. Estes imigrantes, no final do século XIX, instalaram-se em Santa Catarina, próximo a cidade de Brusque, em um local chamado Barracão (à 30 Km a oeste de Itajaí).

Foram 2 ramificações no início do século XX: Uma ramificação foi para Mato Grosso e a outra ficou nas proximidades de Itajaí. As ramificações traduziram Dalzocchio para Dalsocchio. Entre as décadas de 40 e 50, transformou-se em Dalsoquio entre as famílias que ficaram em Santa Catarina. Porém, Dalçoquio, com "Ç", foi colocado na década de 60 quando no recadastramento do serviço militar do então soldado, Augusto Dalsoquio Neto, transformou-se em Augusto Dalçoquio.

Família Dalçoquio

Voltar


Copyright © Dalçoquio.

desenvolvimento TIC